quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Os longas animados dos estúdios Disney parte 2: Os curtas da Segunda Guerra Mundial


      Olá a todos que acompanham o blog, sejam bem vindos a segunda parte do especial sobre os  longas animados dos estúdios Disney. Hoje iremos ver um pouco sobre os curtas-metragens produzidos durante o período da 2ª Guerra Mundial que deram origem ao primeiro personagem brasileiro da casa do Mickey.

this is brazil

UMA GUERRA NO MEIO DO CAMINHO:

    No começo da década de 1940, os Estados Unidos estavam lutando na 2ª Guerra Mundial, então todos os esforços econômicos estavam voltados para a frente de batalha. O próprio Walt Disney foi convocado pelo presidente Franklin Delano Roosevelt como membro de uma comitiva que viajou por diversos países da América do Sul, incluindo o Brasil, em uma viagem para conseguir a simpatia desses países na luta contra o Nazismo.  

walt disney farofeiro no brasil

     Os estúdios Disney, prevendo as dificuldades do período de guerra, decidiu produzir apenas curtas-metragens, bem mais baratos e que garantiram a sobrevivência durante esse período conturbado.

ALÔ AMIGOS(1942):


SINOPSE:

     O primeiro filme composto por curtas foi Alô Amigos! Que deu origem a novos personagens Disney de latino americanos.
     O Pato Donald é um turista americano que embarca em uma incrível viagem pelo Brasil  e conhece seu primo distante: Zé carioca, um papagaio malandro que vive no Rio de Janeiro.
   Pedro é um aviãozinho que voa pelo Chile e enfrenta uma terrível tempestade, passando por maus bocados para atravessar o Monte Aconcágua.
     Em Buenos Aires, Pateta aprende a usar o equipamento de montaria e danças típicas argentinas.

OPINIÃO:

     Recheado com coloridas cenas de diversos lugares da América do Sul, o desenho se destaca pela sequência com imagens de Carnaval do Rio de Janeiro e músicas como "Aquarela do Brasil"; Alô amigos deu origem a Zé carioca o primeiro personagem brasileiro da Disney, um típico malandro da Lapa (bairro do Rio de Janeiro) da década de 1940.

VOCÊ JÁ FOI A BAHIA? ( 1944):


SINOPSE:

    O filme é divido em três segmentos: Aves raras (com Paulinho, o pingüim friorento e com o Burrico Voador), Você já foi a Bahia? e Os Três Cavaleiros.
     O Pato Donald recebe de presente de aniversário uma visita ao Brasil, onde é recebido pelo Zé Carioca, e ao México, onde é recepcionado por Panchito.

OPINIÃO:

     Continuação de Alô Amigos!, É ainda mais divertida, graças a antológica cena em que Donald e Zé Carioca interagem com Aurora Miranda, irmã de Carmen Miranda.

MÚSICA, MAESTRO! (1946):


SINOPSE:

    O filme é composto por  uma coletânea de 10 histórias curtas cheias de música e animação.

OPINIÃO:

     Mais fraco que os anteriores, nessa seleção de curtas se destacam a sequência da baleia cantora e da adaptação do conto Pedro e o Lobo.

COMO É BOM SE DIVERTIR ( 1947):


SINOPSE:

     O Grilo Falante apresenta dois curtas de animação da Disney: “Bongo”, sobre um urso de circo que foge para a vida selvagem, e uma visão de famoso conto de fadas em “Mickey e o Pé de Feijão”, com Mickey, Donald e Pateta nos papéis principais.

OPINIÃO:

     Superior ao outro filme, Como é bom se Divertir é composto por apenas dois segmentos, o mais famoso deles é a versão da Disney para o conto: João e o Pé de Feijão onde vemos uma espetacular interação entre Mickey, Donald e Pateta.

TEMPO DE MELODIA (1948):


SINOPSE:

    O filme apresenta sete Clássicos com muita música e personagens inesquecíveis como: o Pato Donald em "A Culpa é do Samba". O intrometido abelhão em "A Dança do Zangão" e o travesso barquinho de "O Rebocador Apitinho".

OPINIÃO:

    Pouco lembrado hoje em dia, o filme tem como marca o terceiro encontro entre Donald e Zé Carioca. 

AS AVENTURAS DE ICHABOD E SR. SAPO (1949):


SINOPSE:

    O filme possui duas sequências a divertida  história do senhor sapo e a sombria Aventura de Ichabod Crane contra o Cavaleiro sem Cabeça.

OPINIÃO:

    O último curta do período é lembrado pela impressionante sequência de Ichabod Crane e o Cavaleiro sem Cabeça, sombria e com um visual surpreendente. Segundo alguns, serviu de inspiração para o diretor Tim Burton realizar seu filme de 1999:  A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça.

      Bem é isso ai pessoal, espero que tenham gostado de conhecer esses período pouco lembrado da história da Disney, onde o estúdio teve que dar um jeito de se manter presente nos cinemas. Reparem nas datas e percebam que Walt Disney só voltou a se aventurar a produzir longas animados cinco anos após o final da 2ª guerra mundial, quando a economia já se mostrava mais estável e esse retorno foi épico e é lembrado como o período de maior criatividade do estúdio quando adaptou diversos contos de fadas para as telas de cinema, é o que iramos ver na próxima parte do especial, até lá!



segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

Os longas animados dos estúdios Disney parte 1: O início de tudo


     Olá a todos que acompanham o blog, sejam bem vindos a mais uma sequência de postagens especiais do Canil do Beagle. Dessa vez resolvi abordar um pouco sobre os longas animados da Disney que marcaram gerações de fãs, desde 1937 até os dias de hoje, portanto preparem-se para uma viagem nostálgica.

personagens que marcaram gerações

UM INÍCIO ESPETACULAR:

    Como todo grande império, os estúdios Disney começaram de maneira tímida, fundada por Walt Disney no começo da década de 1920, produzindo o primeiro desenho animado sonorizado em 1928 chamado: Steam Boat Willie, que apresentou ao mundo Mickey Mouse.

 e tudo começou com um rato

     Depois disso, Disney teve uma ideia considerada absurda para época: produzir o primeiro longa metragem animado da história, a primeira opção foi A Rainha da Neve do autor dinamarquês Hans Christian Andersen, porém o produtor mudou de escolha e decidiu levar para as telas a história de Branca de Neve dos Irmãos Grimm. Lançado em 1937, o desenho foi um marco revolucionário na industria do cinema,alçando Disney ao panteão das lendas cinematográficas.
    Após o sucesso, outros contos foram adaptados para o cinema assim como histórias originais que estabeleceram os estúdios Disney como o mais importante no ramo das animações..

BRANCA DE NEVE E OS SETE ANÕES  (1937):


SINOPSE:

    Uma rainha má e bela resolve, por inveja e vaidade, mandar matar sua enteada, Branca de Neve, a mais linda de todas. Mas o carrasco que deveria assassiná-la a deixa partir e, durante sua fuga pela floresta,  a menina encontra a cabana dos sete anões, que trabalham em uma mina e passam a protegê-la. Algum tempo depois, quando descobre que Branca de Neve, continua viva, a Bruxa Má, disfarça-se e vai atrás da moça com uma maçã envenenada, que faz com que Branca de Neve, caia em um sono profundo por toda a eternidade.

OPINIÃO:

    O primeiro longa de animação da história é um verdadeiro espetáculo, mesmo passados 81 anos do seu lançamento, Branca de Neve e os Sete Anões impressiona pela beleza e fluidez da animação cheia de detalhes espetaculares. O Maior destaque vai para os Sete Anões que protagonizam as cenas mais engraçadas do longa

PINÓQUIO (1940):


SINOPSE:

    O marceneiro Geppetto vê uma estrela cadente e deseja que o boneco que acabou de criar, Pinóquio, torne-se um menino de verdade. A Fada Azul concede o seu desejo e pede ao grilo falante  para servir como a consciência do menino de madeira.

OPINIÃO:

    O segundo longa animado da Disney que conta a história do boneco de madeira que queria ser gente é tão espetacular quanto o primeiro, com cenas emocionantes e engraçadas.O Grilo Falante e as cenas em que o nariz de Pinóquio cresce cada vez que ele conta uma mentira são as mais lembradas.

FANTASIA (1940):


SINOPSE:

    Lançado em 1940, o filme representa o mais ousado experimento da Disney até hoje, pois mistura imagens de animação com música clássica. O que começou como um veículo para melhorar a carreira de Mickey Mouse deu origem a um longa-metragem que permanece único na história da animação.

OPINIÃO:

     Muito a frente de seu tempo, Fantasia foi muito mal recebido na época, composto por oito cenas de animação mescladas com obras de musica clássica, o longa só passou a ser reconhecido como uma obra prima a partir da década de 1960, quando foi redescoberto pelos fãs. Um dos maiores destaques é a sequência: O Aprendiz de Feiticeiro, estrelado por Mickey Mouse, esse segmento estabeleceu definitivamente a fama do camundongo no imaginário popular.

DUMBO (1941):


SINOPSE:

     Dumbo é um bebê elefante que nasceu com orelhas enormes e com a ajuda de Timóteo, um simpático ratinho, vai se transformar na principal atração de um circo. Usando suas orelhas, ele faz o que nenhum outro elefante conseguiu: voar!

OPINIÃO:

     O maior sucesso de bilheteria dessa fase, Dumbo foi inicialmente pensado como um curta-metragem, porém Disney, visionário como sempre, viu potencial na história do elefantinho que podia voar e acertou em cheio mais uma vez. O destaque fica por conta das espetaculares cenas do circo e a famosa sequência da alucinação de Dumbo.

BAMBI (1942):


SINOPSE:

     Numa floresta os animais ficam agitados com o nascimento de um filhote de cervo, Bambi, que foi chamado de "Príncipe da Floresta", pois seu pai é o cervo mais respeitado da região. Bambi, cresce, faz amizade com outros animais da floresta, aprende como sobreviver e descobre o amor. Um dia chegam caçadores e ele precisa aprender como ser corajoso como seu pai, para saber como conduzir outros cervos para um lugar seguro.

OPINIÃO:

     É um dos maiores desenhos da história do estúdio, os desenhistas da Disney foram enviados a zoológicos para entenderem como os animais se comportam. As cenas na floresta são majestosas, assim como a morte da mãe de Bambi, uma das mais tristes da história do cinema.

    No ano de 1942, os Estados Unidos estavam lutando na segunda Guerra Mundial e por isso, Bambi não fez o sucesso esperado  e pra completar os recursos das indústrias estavam voltados para o conflito. Até os estúdios Disney começaram a fazer animações de propaganda para o exército, para economizar os custos e não encerrar suas atividades, Walt Disney passou a investir em curtas-metragens ao longo do período.
    Bem é isso ai pessoal, espero que tenha gostado de conhecer esses primeiros clássicos da Disney e na próxima parte do especial iremos conhecer os curtas-metragens do estúdio e um Papagaio muito importante para os brasileiros, até lá!







quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Os 80 anos do Superman parte 10 : A influência do Homem de Aço na vida dos fãs.


      Olá a todos que acompanham o blog, sejam bem vindos a décima e última parte do especial de 80 anos do Superman.Resolvi encerrar essa sequência de postagens que começou no início do ano de uma maneira diferente, pedi para alguns conhecidos dizerem de que forma o Homem de Aço marcou a vida deles, pois nada mais justo que saber como o maior de todos os super-heróis influenciou algumas pessoas.

o maior de todos os heróis

     "Começando por mim, as primeiras lembranças que eu tenho do Homem de Aço são as do desenho da Filmation e de um grande boneco de plástico da marca Rosita, que eu andava pra baixo e pra cima.

meu primeiro boneco do homem de aço

     Depois disso, foi da primeira exibição do filme do Christopher Reeve, lembro que fiquei impressionado com a produção e realmente acreditei que um homem realmente podia voar.
     Como todo moleque, eu também usei um lençol amarrado no pescoço fingindo que era uma capa e também aprendi com o Superman que você sempre deve ajudar as pessoas quando elas precisam, sem esperar nada em troca.
   Por volta dos meus 12 anos de idade eu passei a achar o Superman um personagem chato e preferia o violento Wolverine, o sombrio Batman e o espetacular Homem-Aranha, porém no final do ano de 1993 eu comprei a já lendária edição de: A Morte do Superman, naquele exato momento fui fisgado novamente pelo último filho de Krypton e ele voltou a figurar no topo dos meus heróis favoritos de onde não saiu mais."
   Luiz Paulo- O Beagle.


   " Para mim, o Superman marcou minha vida ao mostrar que a pessoa mais poderosa do planeta era no fundo uma pessoa simples e tímida criada no campo.

super timidez

    Ele também sofria preconceito da pessoa amada e escondia sua verdadeira identidade atrás de um óculos. Inacreditável, não é?!" 
    Paula Fornazier- esposa do Beagle.


   "O Superman marcou a minha vida no sentido de ver meu irmão, fã desde pequeno.Lembro muito do cara que fez o Superman que sofreu o acidente e ficou sem andar, na minha humilde opinião ele foi o melhor.

o eterno Christopher Reeve

    Sempre achei impressionante a Kriptonita e também a força que ele tinha em voltar a viver. Desses mais atuais eu não sei o que dizer, pois não acompanho."
Patricia Mendes.

 
  "Quando se fala em Superman, logo me vem a mente o filme Superman 2, as HQs da editora Abril e o desenho clássico que passava no programa do Bozo, na TVS (depois SBT)...logo depois veio Os Super Amigos no Xou da Xuxa e o primeiro boneco que ganhei do personagem no ano de 1988...bons tempos! 

um dos desenhos mais lembrados

    Me lembro que na década de 90 foi um impacto e tanto acompanhar a morte do personagem e o seu retorno triunfante! Já na década de 2000, com o retorno do personagem nos cinemas, e agora na década atual um revival com O Homem de Aço, Batman vs Superman e Liga da Justiça...enfim, desde criança, o personagem sempre marcou minha vida e continua marcando! Acredito que vivemos a melhor fase para aproveitar de determinada mídia, como: filmes, HQs, animações, games, ficou tudo mais acessível e graças a essa facilidade, como a internet, consegui retomar minha coleção de HQs...enfim, é apenas um relato de um fã e de como esse personagem marcou tanto..."
 Luciano Alves Dos Santos.


   "Nasci em 1979, no Brasil o filme clássico do Cristopher Reeve e o merchandising do filme, naquela época ainda engatinhando, chegou. Uma das minhas fotos mais antigas tem o Superman de Curt Swan posando imponente entre mil planetas estampado no meu calção. Eu comecei a acompanhar Kal El no desenho dos Super Amigos. Um dia, quando tinha 7 anos tive um dia bem ruim na escola, e minha Mãe me acalentou. Naquele dia, passou Superman o Filme na Globo, e ela me deixou ficar até mais tarde para assistir. 

o filme que marcou todos os fãs

      Aquele momento que vi um homem voar pela primeira vez me deu um sentimento muito bom, guardo com carinho essa lembrança de ter uma sessão de cinema na minha casa, com minha mãe. Por mais que eu ame o Aranha, o Homem de Aço vai ser sempre um personagem que me trás coisas boas para lembrar."
 Marcio Martins. 


   " O Superman sempre esteve presente na minha vida, nos filmes e desenhos animados, mas sempre achei ele meio antiquado.
   Ele me marcou realmente a partir do episódio de Liga da Justiça Sem Limites: "Para o Homem Que Tem Tudo". 

uma espetacular adaptação

     Adorei a história e corri atrás quando soube que era adaptação de uma hq. A partir dali me interessei de verdade pelas grandes histórias com o personagem e passei a respeitar e o admirar ainda mais. Hoje tenho quase todos os clássicos em hq. Além dos desenhos animados, filmes e diversos actions figures."
 Everton Tom Soares.


    "Impossível eu falar sobre o Superman e não citar o filme do Richard Donner e aquela trilha sonora do John Williams. Quando criança, comecei a ver o Homem de Aço ainda na época dos SuperPowers e quando sabia que ia passar o filme na TV, cara...eu ficava emocionado. 

um gibi marcante

   Pra mim era o momento mais marcante da minha infância, junto daquela que pra mim é a maior história dos quadrinhos: A Morte do Superman, inclusive abordada por ti no blog de forma genial."
  Thyego Germano.


   "O que mais marca a mitologia do Superman pra mim é sobre a história do seu surgimento pelos seus criadores. A história por trás da concepção desde os primórdios, até a polêmica com a compra dos direitos e posteriormente deixando Siegel e Shuster pra escanteio é um dos maiores acontecimentos desde a era de ouro. 

os pais do superman foram deixados de lado por décadas

    É muito triste ver como foi conduzido à vida dos dois após o sucesso do Homem de Aço pelo mundo!"
Alexandre Morgado. 


   "O Superman marcou minha vida não apenas pela sua aparência e poderes. Gosto e admiro o que ele representa. Ele assim como o Capitão América já deixaram de ser à muito tempo o símbolo dos Estados Unidos para tornarem-se defensores universais. Os valores que o Homem de Aço representa são os mais nobres valores de um ser humano: Eles defendem e representam a justiça, o altruísmo, o amor ao próximo, a liberdade, a ética, a bondade, a determinação, a força de vontade, a coragem, a fé, a abnegação, a fidelidade, a esperança, a caridade, a humildade, a gratidão, a tolerância e a resiliência. 

mais do que um personagem

    São características que valorizo e quero ter e os valores que coloquei em Urano, o personagem principal de meu livro Os Senhores de Ur: O Início. É inegável que se todos seguissem seu exemplo o mundo seria um lugar muito melhor com seres humanos moralmente melhores e com maior capacidade de superação."
 Ricardo Quartim. 

    "Apesar de ser mais fã do Capitão Marvel, tenho que admitir que o Super-Homem foi o primeiro herói que conheci quando criança, lá pelos 7/8 anos de idade. De tudo que já acompanhei do Homem de Aço, guardo um carinho muito especial pela série animada da Ruby-Spears, que incorporava elementos do reboot "O Homem de Aço", seguramente a melhor coisa que fizeram com o Super e em especial, com o Luthor.

um ótimo desenho que durou pouco

   E claro, a indefectível dublagem do André Filho, a voz do Super e do Sylvester Stallone durante os anos 80."
Leonardo Mendes. 

      Bem é isso ai pessoal, gostaria de agradecer a todos que cederam um pouco do seu tempo para prestar esses depoimentos, saibam que adorei cada um deles.
     Para os leitores do Canil do Beagle, espero que tenham gostado de acompanhar as postagens comemorativas dos 80 anos do Superman, ao longo de 2018, vimos a reformulação de John Byrne, a fase de Roger Stern e Jerry Ordway, os jogos de videogame com o herói, a passagem de Dan Jurgens nos anos 90, todos os desenhos animados, a relação do herói com sua mãe Martha ( salve Martha!), a reformulação de Brainiac e todos os filmes com Christopher Reeve. Em breve trarei novos especiais, até a próxima postagem.


  




terça-feira, 13 de novembro de 2018

As melhores histórias de Stan Lee


    Olá a todos que acompanham o blog, sejam bem vindos a uma postagem mais que especial. No último dia 12 de Novembro de 2018 faleceu Stanley Martin Lieber, ou como ficou popularmente conhecido: Stan Lee.

o pai da marvel moderna

     Para quem não estava no planeta Terra nos últimos 60 anos, Stan Lee era desenhista e roteirista e um dos pilares da editora de quadrinhos Marvel Comics, ao lado de Jack Kirby, Joe Simon, Steve Ditko e Don Heck.

lee e kirby juntos

    Stan Lee foi o responsável pela criação de diversos super-heróis como: o Quarteto Fantástico, o Incrível Hulk, o Homem-Aranha, Thor o Deus do Trovão, o Homem-Formiga, o Homem de Ferro, Dr.Estanho, os X-men originais, os Vingadores, o super espião Nick Fury, o Demolidor, Ka-Zar, o Surfista Prateado, o Pantera Negra, o Falcão, a Mulher Hulk, além das versões modernas do Capitão América e de Namor o príncipe submarino.

o criador

     Stan Lee queria que seus personagens fossem completamente diferentes da concorrência, enquanto Superman, Batman, Mulher Maravilha, Flash e Lanterna Verde eram vistos como semideuses perfeitos, os super-heróis criados pelo autor eram os mais humanos possíveis, com falhas, medos e defeitos: o Aranha era um adolescente azarado que precisava enfrentar os problemas da sua idade e nem sempre vencia no final da história, o Quarteto era uma família disfuncional que vivia brigando entre si, o Hulk era um monstro odiado por todos, o Homem de Ferro tinha problemas de coração além de ser um mulherengo, o Demolidor era deficiente visual, ou seja, apesar de poderosos tinha problemas como qualquer pessoa normal.
peter sempre se dando mal

     Falar sobre a vida e a carreira de Stan Lee e como ele marcou a vida dos fãs dos quadrinhos seria redundante, por isso preferi focar no seu lado artístico e destacar as principais histórias do roteirista.   
     Antes de mais nada, quero deixar bem  claro que é uma escolha pessoal, e como toda lista vai desagradar aos fãs pela falta de uma ou outra história, mas garanto que as que estão aqui representam todo o legado do grande Stan:
    

O QUARTETO FANTÁSTICO:

os pioneiros do universo marvel

O QUARTETO FANTÁSTICO:


     A revista que criou o que chamamos de universo Marvel, logo na primeira edição, mostrava uma história espetacular: Bases militares de todo o mundo estão sendo sugadas para debaixo da terra, relatos de que monstros gigantes aparecem durante esse ataque intrigam a sociedade. Em Nova York, um sinal no ar convoca o Quarteto Fantástico e descobrimos como quatro pessoas: o cientista Reed Richards, o piloto Ben Grimm, a namorada de Reed: Sue Storm e seu irmão Johny Storm, foram para o espaço e ganharam poderes ao serem banhados por raios cósmicos.
   Durante a história, descobrimos que o responsável pelos ataques as bases militares é um homem chamado Toupeira ,que lidera um exército de monstros subterrâneos.

A VINGANÇA DO PRÍNCIPE SUBMARINO:


      No quarto número da revista do Quarteto, Stan Lee teve a ideia de trazer de volta um famoso herói da década de 1940: Namor- o Príncipe Submarino, na história, o Tocha Humana descobre um desmemoriado Namor em um abrigo para indigentes. O jovem joga o herói no mar, na esperança que a água o faça recuperar a memória. 
      O contato com o oceano faz o Príncipe Submarino lembrar de tudo, ele nada de volta ao seu lar, a Atlântida. Porém, ele descobre que a cidade foi destruída por radioatividade e chega à conclusão que a culpa foi dos homens da superfície e decide atacar a cidade com um gigantesco monstro marinho.
      A história possuí diversos momentos clássicos: a descoberta da identidade de Namor, o monstro gigante atacando Nova York, o Coisa detonando uma bomba atômica no interior da criatura e Namor se apaixonando por Sue.

PRISIONEIROS DO DOUTOR DESTINO:


     Foi na quinta edição de sua revista, que o quarteto conheceu aquele que viria a ser o seu maior  inimigo: o Doutor Destino. Na trama, o vilão sequestra Sue Storm e exige que os outros membros voltem no tempo para recuperar um antigo tesouro pirata.
    Novamente, a imaginação de Lee ganha assas com a primeira viagem no tempo no universo Marvel, vemos como os heróis da editora são falhos, brigando o tempo todo entre si, além disso conhecemos parte da origem de Destino.

TUMULTO NO EDIFÍCIO BAXTER:


     No dia do casamento de Reed Richards e Sue Storm, o Doutor Destino coloca em prática um plano diabólico: controla mentalmente todos os vilões e os envia para atrapalhar o casório dos heróis, o que ele não esperava era que todos os heróis da editora estavam entre os convidados, dando início a uma batalha épica.
     Esse foi o primeiro grande encontro de personagens da editora, todos os heróis e vilões da Marvel apareceram por aqui, dando origem a um combate épico e o final não poderia ser mais hilário: durante a recepção, os próprios Stan Lee e Jack Kirby são barrados na entrada e vão embora reclamando.

A TRILOGIA DE GALACTUS:


      O Quarteto Fantástico enfrenta Deus! Basicamente essa foi a ideia de Stan Lee para comemorar a 50ª edição da revista, na verdade essa é uma história que se passa em três edições e é considerada por muitos como a obra prima de Lee no título.
      Na história, ao voltar de uma aventura com os Inumanos, o Quarteto Fantástico se depara com estranhos fenômenos nos céus de Nova York: fogo e rocha aparecem cobrindo todo espaço aéreo. Mas isso não passa de uma camuflagem criada pelo Vigia, para esconder a Terra do Surfista Prateado, uma criatura que procura mundos para seu mestre: Galactus o devorador, um ser espacial extremamente poderoso que se alimenta de mundos.
     Galactus é indestrutível; o Quarteto é derrotado facilmente e precisa contar com a ajuda do próprio Surfista Prateado para expulsar o gigante de nosso planeta.

O INCRÍVEL HULK:

o golias esmeralda

A CHEGADA DO HULK:


      Após a criação do Quarteto Fantástico, Stan Lee criou outro herói diferente, na verdade o Hulk era um monstro grande, forte, de intelecto limitado que só queria ser deixado em paz.
     A criatura era o doutor Bruce Banner, que havia sido atingido pela explosão da bomba gama, transformando-o durante a noite no Hulk.Essa primeira versão do Golias esmeralda era na verdade cinza e se transformava a noite, numa clara alusão ao clássico, o médico e o monstro.

UM TITÃ COMANDA O TREM !



     Mais uma vez Stan Lee mostra que não é um roteirista comum e cria o maior inimigo do Hulk: o Líder, um homem também atingido pela radiação gama, mas que adquire uma inteligência fora do comum. É interessante ver o contraponto entre a brutalidade do Hulk e o intelecto do líder. 

HOMEM-ARANHA:

a obra prima de lee

A ORIGEM DO HOMEM-ARANHA:


    A maior criação de Stan Lee, o Homem-aranha, era diferente de tudo o que havia sido publicado: um herói franzino, sem dinheiro, azarado, que nem sempre terminava suas histórias se dando bem e mesmo quando vencia um vilão, ele perdia em outra área. 
   Ele era Peter Parker, um jovem de 15 anos, que é picado por uma aranha radioativa e ganha super poderes. O rapaz decide usar suas habilidades para ganhar dinheiro, porém após um assaltante que ele havia se recusado a prender, mata seu tio Ben, Peter descobre da pior maneira que: grandes poderes trazem grandes responsabilidades.

HOMEM-ARANHA CONTRA SEU MAIS ESTRANHO INIMIGO- O DOUTOR OCTOPUS:


    Stan Lee estava disposto a mostrar que o Aranha era diferente de todos os super-heróis que ele havia criado, na terceira edição da revista, o aracnídeo enfrenta o poderoso Doutor Octopus e é derrotado! Mais do que isso, ele leva uma verdadeira surra! Humilhado e com medo, Peter pensa em desistir de ser um herói e é preciso um conselho do Tocha Humana para que ele recobre a coragem e derrote o vilão.

O SEXTETO SINISTRO:


       Para a primeira edição anual do herói, Stan Lee cria um grupo com os maiores inimigos do Aranha: Doutor Octopus, Homem Areia, Mistério, Electro, Abutre e Kraven o caçador. O grupo sequestra  a tia May e Beth Brant, a namorada de Peter. 
    Como todo azar é pouco, o Homem-Aranha ainda perde momentaneamente seus poderes e precisa encarar o grupo de vilões no braço.

COMO ERA VERDE O MEU DUENDE/O ARANHA SALVA O DIA:


     Uma das principais regras dos super-heróis até a década de 1960, era que a sua  identidade era secreta, ninguém saberia quem se escondia por trás da máscara, principalmente o vilão, mas Stan Lee mandou isso pro espaço nas edições 39 e 40 da revista Amazing Spiderman, quando o vilão Duende Verde descobre a identidade do herói, o sequestra e também decide revelar quem era. 
    Os leitores passaram os últimos anos tentando descobrir um dos maiores mistérios até então: quem era o Duende Verde? Eis que é revelado que ele era na verdade: Norman Osborn, pai de um amigo de Peter.
    Ao quebrar esse paradigma da identidade, Lee revolucionou os quadrinhos e ainda deu origem a maior rivalidade entre herói e vilão no universo Marvel.

HOMEM-ARANHA NUNCA MAIS! :


     Mostrando o porquê do Homem-Aranha ser sua maior criação, Stan Lee revoluciona os quadrinhos mais uma vez, na trama, Peter está exausto de ser o Aranha, passando por inúmeros problemas pessoais, o jovem decide tomar a decisão mais drástica de sua carreira: deixar de ser o Homem-Aranha! Porém, aproveitando a ausência do herói, um novo e poderoso líder mafioso conhecido como Rei do Crime está reunindo todas as quadrilhas de Nova York sob seu comando. Caberá a Peter decidir se irá deixar a cidade cair nas mãos desse criminoso ou irá lembrar da lição de seu tio Ben: Grandes poderes trazem grandes responsabilidades.

AS TIRAS DIÁRIAS DO HOMEM-ARANHA:


     Mesmo quando parou de escrever e se afastou da função de roteirista, Stan Lee ainda continuou escrevendo o Homem-Aranha, mas de uma maneira diferente. No ano de 1977, a Marvel lançou uma tira de jornal do Homem-Aranha, escrita por Stan Lee e desenhada por John Romita e seu irmão mais novo Larry Lieber .

    A publicação, apesar de usar o mesmo elenco dos quadrinhos, tinha uma cronologia própria, assim Peter Parker chegou a ficar noivo de uma tal de Carole, porém acabou se casando com Mary Jane também nos jornais.

OS VINGADORES:

os heróis mais poderosos da terra


O CAPITÃO AMÉRICA VIVE NOVAMENTE:


     Os Vingadores foi uma espécie de resposta da Marvel a Liga da Justiça da DC, um grupo formado pelos maiores heróis da editora, porém o título possuía histórias fracas e só começou pra valer na edição de número 4, quando os Vingadores resgatam um corpo congelado à deriva. Para a surpresa de todos, descobrem que o homem está vivo e que é o lendário Capitão América.
    O herói, um verdadeiro símbolo americano, logo se tornou o líder da equipe e um dos principais heróis da editora.

MUDA A VELHA ORDEM! :


     Como falei anteriormente, Stan Lee nunca foi de seguir regras e na 16ª edição dos Vingadores, ele reformulou radicalmente a equipe, tirando todos os membros fundadores, a exceção do Capitão América e colocando três ex-vilões como membros: Gavião Arqueiro, Feiticeira Escarlate e Mercúrio.
    Conhecida como a quadrilha do Capitão, essa formação é uma das mais queridas dos fãs, pois mesmo não sendo tão poderosos quanto Thor, Homem de Ferro e o Gigante, os novos recrutas provaram seu valor.

  CAPITÃO AMÉRICA:

o sentinela da liberdade

A GLÓRIA DO CAPITÃO AMÉRICA:



     Stan Lee não criou o Capitão América, isso coube a dupla Joe Simon e Jack Kirby, porém, Lee foi o responsável por trazer o herói do ostracismo e reformular para os tempos modernos. Nessa história vemos um Capitão América cabisbaixo, se sentindo como um homem fora de seu tempo, afinal ele passou vinte anos congelado. 
    Enquanto isso, um grupo de criminosos decide invadir a mansão dos Vingadores, pois acreditam que o herói é o mais fraco da equipe por não possuir super-poderes.
    Com maestria, Lee mostra que não é preciso de super poderes para ser um herói e o porquê do Capitão América ser a alma dos Vingadores.

A FANTÁSTICA ORIGEM DO CAVEIRA VERMELHA:


     Assim como trouxe o Capitão de volta a vida, Stan Lee resolveu trazer seu maior inimigo dos tempos de guerra: o Caveira Vermelha, porém, o autor modificou completamente a origem do personagem, se na década de 1940 o vilão era John Maxon, um inescrupuloso empresário, agora ele era Jöhann Schmidt, um homem cruel, recrutado e treinado pelo próprio Adolph Hitler. Foi revelado que ele usou Maxon em suas investidas criando assim uma explicação para a outra identidade.


O PODEROSO THOR:

o deus do trovão 

OS CONTOS DE ASGARD:


       O poderoso Thor era um sucesso de vendas graças aos roteiros de Stan Lee e a arte de Jack Kirby, a dupla então teve uma ideia: porque não se aprofundar na mitologia nórdica e adaptá-la para o universo Marvel ?  Para não ter que criar um título novo, Lee decidiu que iria apresentar toda a mitologia em histórias curtas, em forma de contos, nas últimas cinco páginas da revista que publicava o Deus do Trovão. 
     Assim surgiu os Contos de Asgard, mostrando desde a criação do mundo nórdico, passando pela infância de Thor até chegar no Ragnarok, a morte dos deuses.
     Por 51 edições, os fãs acompanharam fascinados tudo que acontecia em relação a mitologia do herói, de uma maneira nunca vista antes.
    Posteriormente, esses contos foram compilados em forma de uma minissérie em 6 partes e depois em um encadernado.

OS X-MEN:

os patinhos feios da marvel


A IRMANDADE DE MUTANTES/ARMADILHA PARA UM X-MAN:


     Os X-men originais sempre foram os patinhos feios da Marvel, Stan Lee sempre admitiu que estava sem ideias para explicar a origem dos poderes dos heróis e decidiu que eles haviam nascido com eles, por causa disso, os leitores nunca gostaram do grupo e pra piorar, Lee e Kirby ficaram pouco tempo no título, mas mesmo assim nos brindaram com três grandes sagas.
    A primeira mostra a volta de Magneto, agora liderando sua própria equipe de vilões: a Irmandade de Mutantes Malignos, eles dominam um pequeno país e cabe aos X-men derrotarem a equipe rival.        Com muito custo os heróis obtém a vitória, porém o professor Xavier aparentemente perde seus poderes e o Anjo é sequestrado e levado para o asteroide M, a base de Magneto no espaço.
     Os jovens mutantes precisam resgatar seu amigo fora da Terra, derrotar a Irmandade e impedir que Magneto triunfe.

POR ONDE PASSA O FANÁTICO:


    Nessa espetacular história, os X-men precisam encarar o Fanático, o meio-irmão do professor Xavier, que virou um ser de imenso poder. Durante a trama, conhecemos toda a origem do Professor X e sua rivalidade com seu meio irmão, além disso vemos a tensão dos heróis, pois todas as armadilhas que eles colocaram não impedem a chegada do Fanático dentro da mansão.

ENTRE NÓS VAGUEIAM OS SENTINELAS:


     Aqui houve uma virada no título dos X-men, até então eles eram vistos com desconfiança pela população, mas ainda sim eram heróis, Stan Lee criou uma aventura onde a equipe passa a ser perseguida por Bolivar Trask e seus robôs gigantes, caçadores de mutantes conhecidos como Sentinelas. 
    Trask inicia uma campanha de ódio e perseguição aos mutantes, dizendo que eles dominariam a Terra e que seus Sentinelas impediriam isso, porém os robôs saem do controle e decidem dominar a humanidade, agora cabe aos X-men deter a ameaça.


DOUTOR ESTRANHO:

o mestre das artes místicas

UMA TERRA SEM NOME, UM TEMPO SEM FIM:


      O Doutor Estranho é um dos títulos mais cultuados da Marvel, graças aos roteiros de Stan Lee que adorava assuntos místicos e aos desenhos de Steve Ditko totalmente psicodélicos, nessa história o Doutor Estranho é perseguido pelo mundo todo por Dormammu e seu lacaio, o Barão Mordo. O mestre das artes místicas precisa encontrar uma entidade cósmica conhecida como “Eternidade” e escapar de seus inimigos, visto que ele está despojado de seus poderes, cego e acorrentado.

O SURFISTA PRATEADO:

o filósofo do cosmo 


SURFISTA PRATEADO VOLUME 1:


     Stan Lee nunca escondeu que o Surfista Prateado era sua criação favorita, após aparições nas histórias do Quarteto Fantástico, o herói ganhou um título próprio, onde o autor destilava filosofia, existencialismo e questionamentos. 
   Lee tinha tanto ciúme do personagem, que após o cancelamento do primeiro título, ele proibiu por um tempo que outros autores utilizassem o Surfista em uma história.

PARÁBOLA:


     Uma verdadeira obra prima, Stan Lee se junta aos espetacular Moebius  para trazer a melhor história do Surfista: em um futuro próximo, Galactus chega a Terra, engana a todos e faz com que a população o adore como um Deus, cabe ao Surfista Prateado, antigo arauto do vilão que estava exilado na Terra, mostrar sua verdadeira intenção, lutando contra seu antigo mestre.

    Bem é isso ai pessoal, espero que tenham gostado da seleção, claro que como todas as listas ela vai desagradar aos fãs pela ausência de uma ou outra história, mas acredito que as apresentadas aqui representam de maneira digna a obra de Stan Lee, são histórias que já estão gravadas na memória dos fãs e são clássicos que devem ser conhecidos, lidos e relidos.
   E para quem quer conhecer um pouco mais sobre a vida do mestre indico a graphic novel: Incrível, Fantástico, Inacreditável! a biografia em quadrinhos de Stan Lee! da editora Geek.

uma biografia em quadrinhos

      OBRIGADO POR TUDO STAN LEE!  EXCELSIOR!